top of page
lucas.diesel_background_website_greek_mythology_UX_1a471611-7b73-457c-8db8-53a5a839a4c9.pn

Keres

As Keres (em grego: Κῆρες) são seres da mitologia grega que personificam a morte violenta, a fatalidade e o destino inevitável. Elas não são propriamente deusas, mas sim espíritos femininos associados a situações de morte violenta em batalha ou em acidentes trágicos. As Keres são frequentemente descritas como figuras sombrias e sinistras que acompanham o campo de batalha, escolhendo as almas dos guerreiros que estão destinados a morrer.

Zeus Mitologuia.png

Arte ilustrativa, para uma visão fiel a grega antiga consulte as artes em cerâmica, já para a visão romana procure pelas estátuas e artes em mosaico (para ambos recomendo o site Theoi.com).

As Keres não têm uma representação visual distintiva na mitologia grega, mas são geralmente descritas como figuras sombrias e cruéis que se deleitam com a morte e o derramamento de sangue. Elas são frequentemente associadas ao caos e à violência da guerra.

História

As Keres são consideradas impiedosas e implacáveis. Elas não têm compaixão pelas vítimas da morte violenta e são vistas como agentes do destino inevitável. Sua presença é sentida nos campos de batalha e em situações de morte trágica, onde estão prontas para colher as almas daqueles que estão fadados a morrer. Embora as Keres não sejam deusas da morte em si, como Perséfone ou Tânato, elas desempenham um papel importante na mitologia grega como personificações da morte violenta e da fatalidade. Elas são parte do panteão mitológico grego que lida com os aspectos sombrios e inevitáveis da vida humana, como a mortalidade e o destino. As Keres são mencionadas em várias obras da literatura grega antiga, e sua presença é muitas vezes associada a momentos de tragédia e desespero. Elas representam a ideia de que, em última análise, todos os seres vivos estão sujeitos à morte, independentemente de seu status ou bravura em vida.

bottom of page